Evolução no Escritório

O ambiente do escritório passou por um processo de transformação muito grande nos últimos anos, tanto no aspecto visual quanto no funcional, possibilitando harmonizar as atividades desenvolvidas com os recursos disponibilizados pelas empresas para a execução das mesmas.
Com o avanço da tecnologia, as copiadoras acabaram com o uso do carbono, as máquinas de escrever foram substituídas pelos micro-computadores e as antigas redes de telefonia, fax, ar condicionado, segurança contra fogo, etc., exigiram novas e mais sofisticadas instalações, trazendo a necessidade, na maioria dos casos, do uso de pisos elevados para possibilitar a distribuição de uma nova rede compatível e versátil.
A era da informática forçou, também, a mudança radical dos móveis convencionais. Atualmente, não são mais admissíveis aquelas mesas e cadeiras tipo diretor, secretária, etc. Os móveis modernos, além de visualmente mais bonitos obedecem a regras de ergonomia, proporcionando maior conforto ao usuário.
As paredes foram substituídas por divisórias, criando um ambiente mais arejado e profissional.
Com tudo isso, mudou também o perfil dos fornecedores das empresas, que agora são técnicos especializados que oferecem soluções e não simplesmente a venda de produtos. Fez-se presente a figura do arquiteto para projetar ambientes de médio e grande porte, visando uma solução conjunta de todos estes aspectos.
Toda essa revolução veio destacar, ainda mais, a necessidade de atualizar e modernizar também uma área quase sempre esquecida ou relegada a segundo plano - O ARQUIVO. Tanto, que cada vez mais se procura a colaboração de profissionais em arquivística para organizar e normatizar o setor.
Mediante tantos avanços, fica evidente a incompatibilidade dos móveis convencionais para o arquivo, não apenas no aspecto estético mas, principalmente, quanto à capacidade e funcionalidade operacional, cujos detalhes passaremos a examinar.